Lingam Massagem

O resgate dos aspectos sagrados do masculino (foto: Melissa Maurer)

O resgate dos aspectos sagrados do masculino (foto: Melissa Maurer)

Assim como nas mulheres, a abordagem aqui visa conectar a bioeletricidade já estimulada com a realização de manobras em todo o órgão genital masculino. Nessa modalidade serão realizadas manobras no órgão genital masculino que, propositalmente, diferem-se daquelas masturbatórias, proporcionando descargas energéticas e orgásticas dissociadas da ejaculação, o que propicia a experiência masculina de sentir orgasmos secos e múltiplos.

Esses movimentos obedecem padrões exaustivamente estudados e experimentados para trazer consciência corporal para região genital, uma vez que alcançam locais que normalmente não são tocados e são desprezados pelas próprias mulheres. Assim, descoberta de que todo o órgão sexual masculino é sensível ao toque é uma experiência reveladora.

Após a experiência com a Lingam Massagem muitos homens relatam nunca terem sentido algo parecido. A experiência orgástica se expande por todo o corpo desvinculando o prazer apenas do órgão genital. É, para o homem, uma grande desconstrução no que diz respeito a conceitos adquiridos desde o início de sua vida sexual, uma oportunidade de olhar para seu próprio corpo de uma forma mais amorosa, se desvencilhando dos aspectos negativos e machistas impostos aos homens.

O aspecto hormonal também merece destaque, sobretudo porque são observados aumentos significativo da produção e liberação de hormônios que possuem estreita relação com o prazer e bem-estar dos homens, como a ocitocina, a serotonina e a endorfina.

 

Benefícios da Lingam Massagem:

  • Proporciona orgasmos energéticos e secos;

  • Aumento da potência e do tempo de ereção;

  • Controle da ejaculação precoce.

 

Agende sua sessão

Selecione o terapeuta ou deixe a seleção a critério do ATMAN Consciência & Tantra.
Vamos tirar todas as suas dúvidas. Fique tranquilo! :)

Depoimento

Prezada Nalini,

Eu fico ate emocionado quando escrevo essas coisas. Quase chorei quando você tocou o meu corpo com leveza o suficiente para me aquecer, e quase derramei lágrimas, de fato, quando você se afastou e eu senti frio. Quando segurou meus pés com suas mãos tão delicadas, percebeu que eles estavam frios, mas acho que foi porque grande parte do sangue, durante o Lingam, subiu para a pélvis. Na Sensitive, eu estava todo quente, de cima a baixo.

Eu quase resolvi te implorar para que me abraçasse, enquanto estávamos próximos, acho que eu não sentia aquela solidão do corpo, aquela que a gente sente quando a gente quer alguém por perto mas não vê nada além de paredes. Tua presença afugentou a solidão da alma também. Estive feliz!

O fato é que você ficou ao meu lado o tempo todo, mas como eu estava num estado forte de relaxamento, embora plenamente consciente, eu só pude ter a certeza quando ouvi você falar o meu nome, ao que, de imediato, abri os olhos. Naquele momento, eu não tinha mais na cabeça aquela avalanche interminável de pensamentos truncados que eu tenho e que me enrolam a língua de vez em quando, impedindo-me de falar corretamente. Eu daria todas as glórias da minha vida (que nem tenho) apenas para passar um momento sem pensar em demasia.

Eu sinto com frequência um incômodo na região da pélvis onde você fez a massagem. Parece que ali fica tudo coagulado, parece que todo o sistema sexual está congestionado, sem trânsito. Isso dá uma aflição terrível, pelo menos em mim, mas acredito que nos homens em geral. Tento aliviar esta aflição naquele esquema “eu-comigo-mesmo”, mas não é o mesmo alívio. O que senti após a massagem é muito duradouro e profundo. A masturbação não proporciona um alivio tão intenso assim, apesar de ajudar a descarregar a tensão, porque eu não tenho prazer nisso.

Eu me sentia tão confortável e tão tranquilo que eu cheguei ate a te falar: “Isto é melhor do que sexo”. Eu nunca tive uma experiencia como essa. Você é tão simples, tem uma abordagem tão humana, tão envolvente que me pareceu tudo aquilo um encontro de duas almas. Acho que se você não tivesse chamado o meu nome naquela hora, talvez eu tivesse chorado, por um motivo confuso. Talvez por tudo ter acabado, ou talvez por medo de nunca mais poder voltar. Não sei, eu posso ter pensado tudo isso junto, mas não havia angústia. Você removeu toda a dor que eu sentia.
— P.M.B.